Imitação de Cristo

Número

pt.024

Título

Imitação de Cristo (pt.024)

Fonte latina original

Imitatio Christi

De imitatione Christi

De Contemptu Mundi

Localização textual

O testemunho medieval português encontra-se integrado no livro denominado Liuro das Tradusoins e Pastorais.(entre os fólios 76r e 96v)

Língua(s)

Português antigo

Tradutor

 

Frei João Álvares

Contextualização da tradução

 

O livro I da Imitação de Cristo, que compõe o testemunho remanescente quatrocentista português, terá sido traduzido por Frei João Álvares, Abade Comendador do Mosteiro Beneditino de Paço de Sousa com o intuito de transmitir os seus ensinamentos aos frades do Mosteiro, por forma a manter intacta a disciplina monástica e o desapego do mundo. Esta vontade é expressa numa carta que acompanha a obra e que é enviada pelo Abade, ausente em Bruges em 1468, aos monges do seu mosteiro.

Data

1477 (data da cópia remanescente, embora a tradução original tenha sido composta, no máximo, em 1468)

Local

Desconhecido (eventualmente Bruges)

Alterações de estrutura/conteúdo

 

A versão portuguesa coincide, no seu geral, com o texto latino, embora haja uma variação no título dos capítulos: ao invés da tradução dos títulos originais, o tradutor prefere fazer preceder os capítulos de frases latinas que depois verte. Há também alguns acrescentos de palavras (interjeições, pleonasmos, utilização de sinónimos para reforçar um pensamento) e supressões (Cepeda, 1962: 5-8).

Interferências textuais

Não se conhecem.

Lista de testemunhos manuscritos

Códice com a cota Aze. 18 (Fundo Azevedo 18, nº 920 do catálogo geral) da Biblioteca Pública Municipal do Porto.

Há também algumas cópias mais tardias (ver Notas).

Lista de Edições antigas

A primeira edição impressa de que há notícia é de 1670, com tradução de Diogo Vaz Carrilho: “Imitação de Cristo que vulgarmente se intitula Contemptus Mundi, escripta em latim pelo Venerável Thomas de Kempis”. Lisboa, João da Costa (ver Cepeda, 1964-73: 283).

Enquadramento dos testemunhos

 

O Códice com a cota Aze. 18 da Biblioteca Pública Municipal do Porto é uma cópia que terá sido elaborada entre 1468 e 1477. Este é o tempo que dista entre a carta enviada por Frei João Álvares, com o testemunho original (em 1468), e a data que se encontra no fim do testemunho remanescente (dezembro de 1477). Este códice pertenceu à Livraria Manuscrita do Convento de Tibães.

Poderia pensar-se que o códice alcobacense que contém excertos da obra (ver Notas) seria cópia deste manuscrito, mas tal não parece ser verdade, conforme revela comparação levada a cabo por Isabel Cepeda (1964-73: 284-286).

Outros dados

O Códice com a cota Aze. 18 da Biblioteca Pública Municipal do Porto possui as dimensões de 18 x 13 cm. É em pergaminho e está escrito em letra gótica francesa, encontrando-se encadernado a carneira. O texto está escrito a uma só coluna e tem cerca de 30 linhas. O texto está escrito a peto, ao passo que as epígrafes e iniciais dos capítulos estão escritas a vermelho e preto.

Edições

 

CEPEDA, I. V. (1962), A linguagem da "Imitação de Cristo". (Versão portuguesa de Frei João Álvares). Lisboa: Instituto de Alta Cultura.

CALADO, Adelino de Almeida (ed.) (1959-60), Frei João Álvares – Obras. Edição crítica com introdução e notas. Coimbra: Universidade de Coimbra.

BASTO, Artur de Magalhães (1944), Da Imitação de Cristo (Tradução portuguesa de século XV que se reputa inédita)", Anais das Bibliotecas e Arquivos. Série II.17, 39-48, 75-84, 191-97.

Estudos

Bases de dados online:

Philobiblon - BITAGAP:

Texid 1303, Manid 1076, Cnum 1925

 

Referências bibliográficas:

CEPEDA, I. V. (1958), Fr. João Álvares. Versão do 1.o livro da Imitação de Cristo (1477). Estudo linguístico e glossário, seguidos da leitura crítica do texto. Lisboa: Universidade de Lisboa - Faculdade de Letras.

CEPEDA, I. V. (1964-73), Uma versão quinhentista inédita da 'Imitação de Cristo'. Boletim de Filologia 22, 281-293

MEIRELES, A. A. et alii (1942), Memórias do Mosteiro de Paço de Sousa & Index dos documentos do Arquivo. Lisboa: Academia Portuguesa da História.

BASTO, A. M. (1938), A primeira tradução portuguesa de Imitação de Cristo. Ocidente 3: 32-37.

 

Notas

Existe uma cópia manuscrita mais tardia, da primeira metade do século XVI, na Biblioteca Nacional de Portugal. Trata-se do Códice Alcobacense 297, da primeira metade do século XVI (Biblioteca Nacional de Portugal), que encerra este texto entre os fólios 208r e 209v. Escrito em papel e com as dimensões de 29 x 19 cm, está escrito a cursiva e é encadernado a pergaminho. Os excertos da obra presentes neste códice, segundo Isabel Cepeda, situam-se entre os fólios 208r e 209v e filiam-se numa tradução castelhana (Cepeda, 1993: 323; Idem, 1964-73: 283, 286-287).

Há algumas cópias mais tardias, uma de 1791 (Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra: nº 636), outras de 1799 (Lisboa, Instituto dos Arquivos Nacionais / Torre do Tombo na coleção Costa Basto, Livro 33 e ainda na Biblioteca Nacional de Portugal, com a cota COD. 11159).