Textos latinos‎ > ‎

Vita Sanctae Pelagiae

Número

lt.012

Título

Vita Pelagiae

Vita Sanctae Pelagiae

Texto a que deu origem

Vida de Santa Pelágia

Vida de Sancta Pellagya

Vida de Santa Paia (pt.012)

Autor

O texto é atribuído a Jacobus Diaconus (Jacob Diácono), de cuja vida não há dados concretos (Waddell, 1942: 250).

Língua

Latim (o texto original é grego).

Caracterização

Texto hagiográfico que narra a vida de Pelágia, ou Margarida, e a sua mudança de vida, provocada por um bispo de nome Nono. Após renunciar à devassidão e às tentações de Satanás, Pelágia parte para a Terra Santa, onde vive como monge eremita considerado santo, sem que ninguém desconfie que se trata de uma mulher. Só depois da sua morte é que a sua condição é descoberta.

Data

Século IX d.C. (data da tradução latina do texto grego, escrito em meados do século V d.C.).

Local

Desconhecido

Contexto da redação do texto original

A vida de Santa Pelágia terá sido escrita em grego por Jacobus Diaconus (Jacob Diácono) em meados do século V d.C., embora haja dúvidas sobre se haverá uma versão mais antiga a partir da qual surgiu o texto grego (Beresford, 2007: 20), sendo mais tarde traduzida para latim por Eustochius – de quem nada sabemos (Waddell, 1942: 250) –, segundo a obra Acta Sanctorum dos Bollandistas – dia 8 de outubro, página 261 (Nunes, 1907: 178-179). A partir desta versão latina surgiram outras, entre as quais encontramos as versões em português.

Versões existentes e sua localização

A tradução para português terá sido feita a partir de uma cópia latina do século XIII hoje desaparecida. Há uma versão reduzida do texto latino, também do século XIII, no códice alcobacense 283/454, que se encontra na Biblioteca Nacional (Duarte, 1993: 674).

Online encontram-se várias versões:

Texto grego:

De sancta Pelagia virgine et martyr:

1.http://www.documentacatholicaomnia.eu/1004/1003__Ioannes_Crysostomus_010/0345-0407,_Iohannes_Chrysostomus,_De_sancta_Pelagia_virgine_et_martyre,_MGR.html#[00092]

2. http://ebookbrowse.com/gdoc.php?id=151613&url=c2b016a6d31b9258db3b88c9edd76cae

 

Texto latino:

1.   Suyskeno, Constantino et al. (1866), Acta Sanctorum – Octobris tomus quartus. Parisiis et Romae: apud Victorem Palmé.

2.  Documenta Catholica Omnia: Migne, JP, Patrologia Latina – Vita Sanctae Pelagiae Meretricis (Interprete Eustochio) – Documento em pdf

 

Texto português:

Nunes, J. J. (1907), "Textos antigos portugueses III. [Vida de Santa Pelágia]", Revista Lusitana 10, 177-190.

 

Tradução inglês-latim:

1.   http://ldysinger.stjohnsem.edu/@texts/0400_apophth/07_pelagia-all.htm

2.   http://www.vitae-patrum.org.uk/page46.html

 

Estudos

Bases de dados online:

Monastic Matrix: http://monasticmatrix.usc.edu/vitae/index.php?function=detail&id=1568

Arlima: http://www.arlima.net/mp/pelagie_sainte.html

 

Referências bibliográficas:

BERESFORD, Andrew M. (2007), The Legends of the Holy Harlots: Thaïs and Pelagia in Medieval Spanish Literature. Woodbridge: Tamesis.

Bibliotheca Orientalis Clementino-Vaticana: Jacobus Diaconus Edessenus, Caput XXII, 258

OLSEN, B. Munk (1984), "La 'Vida de Santa Pelágia': une traduction portugaise médiévale et son modèle latin". In Pélagie la pénitente: métamorphoses d'une legende. Paris: Études Augustiniennes, 2, 243-277

WADDELL, Helen (1942), The desert fathers. New York: Sheed & Ward.

SMITH, William e Wace, Henry (1882), A Dictionary of Christian Biography, Literature, Sects and Doctrines. London: J. Murray, s.u. Jacobus (40), 335.